Escolha uma Página

Negócios afetados pelo Coronavírus: Originário da China, o Coronavírus já havia se manifestado em outras épocas, mas nunca com tanta força quanto agora. Provavelmente a mutação aconteceu em algum animal, quem sabe o morcego e logo passou a ser transmitido para humanos. Além da saúde, a pandemia atrapalhou muitas empresas: quais os principais negócios afetados por Coronavírus? É o que falaremos aqui.

Os governos estão tomando medidas, diversos decretos foram publicados e empresas obrigadas a paralisarem suas atividades. Empresas que não possuem atendimento ao público passaram a trabalhar com efetivo reduzido, principalmente para evitar a possibilidade de contaminação. Ainda assim, os números da doença crescem a cada dia.

Por enquanto boa parte dos casos possuem sua origem conhecida, são pessoas que vieram do exterior e transmitiram para conhecidos ou parentes. Mas, os esforços continuam, com o objetivo de reduzir os problemas causados pelo vírus e com as ruas vazias, quem sai perdendo é o comércio. A sua rotina mudou depois que a pandemia chegou ao Brasil?

Quais medidas o governo brasileiro pode tomar contra a pandemia?

No mundo inteiro os governos começaram a tomar medidas para evitar a expansão do Coronavírus e a economia foi atingida em cheio. O problema brasileiro é a fragilidade da contas públicas, o que dificulta estímulos que sejam suficientes para evitar o fechamento de empresas, ou seja, é complicado que tomem medidas para amenizar os efeitos e impedir uma redução do Produto Interno Bruto (PIB).

O governo federal poderia pensar em acelerar as reformas, a tributária, administrativa e aquela que fala dos cortes no próprio governo federal. Levar isso adiante certamente aumentaria a confiança dos brasileiros nesse momento complicado, onde muitas empresas foram obrigadas a liberarem seus funcionários ou partirem para o home office.

Por isso, uma saída apontada por especialistas seria bancar a redução de juros, a taxa básica Selic estava em 4,25% e foi reduzida para 3,75%. Mas, é uma medida que pode não ter o efeito desejado, já que com a pouca demanda por serviços e o dólar passando de 5 reais, pode ser complicado.

Se o governo federal ainda não tomou medidas cabíveis contra o avanço da doença, os próprios comerciantes devem ficar atentos, a fim de manter suas atividades à longo prazo. O marketing digital, por exemplo, é uma ferramenta que pode e deve ser explorada durante essa crise.

Estados Unidos auxilia Negócios afetados pelo Coronavírus 

No dia 11 de março o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou medidas tomadas para reduzir os impactos do Novo Coronavírus na economia. Assim sendo, foram oferecidos 50 bilhões de dólares para dar suporte a empreendedores e pequenas empresas, um capital disponível para evitar que muitas delas fossem a falência devido à falta de clientes e redução nas vendas.

Trump anunciou que a medida é de efeito imediato, ou seja, as empresas já podem ser beneficiadas com empréstimos visando manter suas atividades e superar a pandemia. O presidente norte-americano informou ainda que iria instruir o Departamento do Tesouro a aditar a cobrança de impostos, impedindo juros e multas, para os negócios afetados por Coronavírus.

Ele foi além, se comprometendo a negociar com o Congresso uma maneira de aliviar os impostos sobre as folhas de pagamentos. Dessa maneira, a ideia é que a ação libere mais 200 bilhões de dólares para auxiliar na liquidez da economia. “Nós estamos num momento crítico na luta contra o vírus”, destacou Trump.

Não apenas isso, foi no mesmo dia que o presidente dos Estados Unidos decidiu suspender todos os voos da Europa para o país, por 30 dias. Inegavelmente a medida acabou não sendo bem recebida por outros mercados, em virtude disso as bolsas da Ásia abrirem o dia seguinte em queda.

Principais Negócios afetados pelo Coronavírus

Se você trabalha com a internet, pode até estar comemorando a alta do dólar. Dependendo do segmento de atuação, isso foi bom, já que os pagamentos feitos pelo Google são baseados na moeda norte-americana. Mas, se a sua empresa depende de exportações, então pode estar entre os negócios afetados por Coronavírus.

O Sebrae fez um mapeamento dos serviços mais afetados pelo Covid-19, indicando que os setores de construção civil, alimentação fora do lar, moda e varejo tradicional estão entre os mais impactados pela pandemia. De fato, os dados indicam que 21,5 milhões de empregados podem ser atingidos, sendo que as pequenas empresas empregam 46,6 milhões de pessoas.

E tem alguns setores com o alerta vermelho ligado, como os serviços educacionais, logística, transporte e tecnologia, juntos movimentam R$ 238 bilhões por ano em salários. Em suma, o Sebrae segue tentando auxiliar as empresas da maneira que pode, com orientações aos empresários em relação a práticas que devem ser seguidas nesse momento de crise.

Entre os negócios afetados por Coronavírus, áreas voltadas para turismo, feiras livres, varejo tradicional, serviços de porta a porta, serviços médicos e veterinários, economia criativa, cuidados pessoas e estética, shoppings e ambientes de grandes aglomerações foram bastante impactados pela pandemia do Coronavírus e assim deve seguir pelos próximos dias ou meses.

Ministério da Economia tenta ajudar os empresários

Além do Sebrae, o Ministério da Economia vem tentando auxiliar os empreendedores durante o momento de crise. Está para ser aprovado um pacote que permitirá aos patrões cortar até 50% dos salários dos empregados durante os dias em que a empresa fica fechada, por enquanto será medida provisória, com validade por 120 dias.

A princípio, a ideia é que aconteça a redução de aluguéis, encargos trabalhista e empréstimos bancários sejam feitos com mais facilidade. Tudo isso está sendo feito com o objetivo de preservar empregos, os bancos de horas das empresas estão sendo utilizados, férias coletivas foram sugeridas e o home office é outra opção interessante.

Em relação ao corte de salário, a medida segue até o fim de 2020. Conhecida como Programa Antidesemprego, será encaminhada ao Congresso Nacional como medida provisória. Portanto, se você é funcionário regido pela CLT, saiba que pelo menos um salário mínimo está garantido. O governo diz que a CLF segue inalterada, mas não vigorará nestes meses de crise.

A ideia é reduzir o impacto nos negócios afetados por Coronavírus, para impedir que empresas vão a falência.

Pequenas e médias empresas entre os negócios afetados por Coronavírus

As pequenas e as médias empresas estão entre os negócios afetados por Coronavírus. Por certo, restaurantes e salões de beleza são obrigados a não fechar e aqueles que continuaram atendendo viram seus números reduzidos bruscamente.

Onde ainda não há decreto para que fechem as portas por alguns dias, empresas utilizam o Facebook e o Instagram para anunciarem que continuam fazendo atendimentos. Aliás, para os restaurantes essa é uma solução, passar a fazer entregas se for possível.

Home office é uma opção interessante

Essa alternativa para manter as atividades não pode ser utilizada por todos os setores, ainda assim, é interessante para muitas empresas. Aquelas que fazem parte da indústria de transformação, como as marcenarias, por exemplo, não tem o que fazer, os funcionários precisam ficar em casa e não há como trabalharem.

Mas, quando se trata de escritórios, aqueles onde os funcionários passam boa parte do tempo em frente a computadores, esses conseguem sim lidar bem com a pandemia do Novo Coronavírus. Em primeiro lugar, trabalhar em casa não é a mesma coisa do que na empresa, a concentração é menor e com a família presente é fácil de o serviço atrasar.

O home office pode ser bem utilizado nestes momentos de crise. Em síntese, a situação do Coronavírus é algo sem precedentes nos tempos modernos. Assim, a internet pode ser uma grande aliada da sua empresa, se ela dos segmentos de comunicação, publicidade, administração e desenvolvimento de projetos elétricos ou arquitetônicos, entre outros segmentos.

Negócios afetados pelo Coronavírus: Use o marketing digital durante a crise

Se o seu negócio foi afetado pela crise do Coronavírus, provavelmente você está buscando maneiras de cortar gastos desnecessários, ainda assim, esse pode ser um momento de alavancar os seus ganhos quando a pandemia for controlada. Assim, o marketing digital pode ser uma ferramenta bem interessante.

Em primeiro lugar, aproveite que as pessoas estão passando mais tempo em casa, já que as aulas nas faculdades foram canceladas, os shoppings e os cinemas estão fechados e também muitas empresas não estão abrindo para mostrar os seus produtos. Uma boa ideia é criar um blog, para dar dicas variadas sobre o seu segmento de atuação, ganhando a confiança do público.

O marketing digital pode ser trabalhado de diversas formas, seja por meio do desenvolvimento de campanhas através do Facebook Ads bem como por meio de posts pagos. Assim sendo, o objetivo principal é a conversão, para tentar fazer vendas online de produtos e serviços oferecidos pela sua empresa.

Tente passar tranquilidade para o público

Se no seu estado ou na sua cidade ainda não existem decretos impedindo o funcionamento da sua loja ou comércio, é fundamental passar tranquilidade para os clientes. Dessa maneira, utilize as redes sociais para mostrar que os processos de segurança estão sendo seguidos, como a utilização do álcool gel e faixas para indicar a separação dos clientes nas filas dos caixas.

É importante que a sua empresa mostre sua marca neste momento, uma vez que aquelas que não transmitem segurança aos consumidores tendem a ser ainda mais afetadas durante esse período de Coronavírus.

Utilize o marketing digital a seu favor, a pandemia é um momento extremamente complicado e ainda não há uma receita para sair dela, acima de tudo, faça a sua parte e evite o pior, na saúde de seus funcionários e na economia do seu comércio.

Se você possui empreendimento em alguma das áreas mais atingidas, nós podemos te ajudar. Em suma, o marketing digital é uma das principais ferramentas para vencer os períodos de crise. É preciso estar junto com os clientes nos momentos difíceis, para consolidar a sua marca. Siga as nossas dicas e boa sorte durante a pandemia.

Veja também:

Home office durante o Coronavírus: Dicas para se organizar

Coronavírus: 7 ferramentas para o seu trabalho remoto

Como vender pela internet com o Coronavírus?